A Comissão de Combate à Violência Doméstica da Subseção de Taguatinga da OAB/DF, composta por sua presidente Lucia Bessa, as diretoras Lúcia Lopes, Fernanda Ferreira, Claudilene Alves e a consultora Ângela Chaves, visitaram nesta quinta-feira (25/06), as dependências da Delegacia da Mulher (DEAM II), em Ceilândia.

A OAB/DF, ciente de seu papel social e sua forte influencia e importante atuação na promoção da cultura de paz e no enfrentamento à violência contra mulheres e meninas, tem intensificado ações para diminuir os índices de violência intrafamiliar e doméstica no DF. A OAB/DF é especialmente vanguardista no que se refere ao tema, tanto que foi o primeiro conselho seccional a ter em sua estrutura de comissões a Comissão Especial de Combate à Violência Familiar.

Recebidas pela delegadas chefe e substituta, Adriana Romana e Karina Duarte, Lucia Bessa e as demais advogadas ouviram sobre os projetos, expectativas e resultados já alcançados nos 17 dias de atuação da DEAM II. As delegadas informaram que, até a data da visita, a delegacia havia atendido 174 mulheres vítimas de violência.

“Recebemos com muita alegria e esperança a instalação da segunda Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher, reivindicação antiga das mulheres do DF, especialmente da região de Ceilândia, local de maior incidência de feminicídios e violências contra as mulheres no DF. É uma grande conquista, fruto de muita luta”, comentou Lucia Bessa.

Parceria
Segundo a delegada chefe, a DEAM II conta com 10 delegados e 38 agentes, e duas viaturas, sendo uma caracterizada e uma descaracterizada. Conta ainda com instalações completa do Instituto Médico Legal (IML), com capacidade para oferecer todos os exames necessários, e duas peritas médicas legistas. Uma delas, Jaqueline, recepcionou a comissão de advogadas.

Quanto à abrangência da atuação, a DEAM II atuará somente na região administrativa de Ceilândia. No entanto, segundo a delegada chefe, todas as mulheres, independentemente da região administrativa em que resida, será assistida. “A DEAM II irá efetuar o atendimento inicial, os exames necessários e fará os encaminhamentos, inclusive enviando mulheres para casa abrigo e solicitando Medidas Protetivas de Urgência. Só depois os autos serão encaminhados para a delegacia da localidade respectiva”, disse Adriana Romana.

A Comissão de Combate à violência Doméstica da Subseção de Taguatinga se colocou à disposição da nova delegacia, afirmando que a parceria com a população e a sociedade civil é de suma importância para o combate e enfrentamento à violência contra mulheres e meninas. “Nos colocamos à disposição e estaremos atentas, vigilantes e fiscalizando o atendimento a todas as mulheres, pugnando sempre pelo fim da violência de gênero, finalizou Lucia Bessa.