Brasília, 06/10/2011 – O Processo Judicial Eletrônico (PJe/JT) veio pra ficar. E já não era sem tempo. A sociedade exige cada vez mais celeridade e para isso o uso de tecnologias racionais e inteligentes é imprescindível. Por isso, o TRT10 realizará palestra sobre o assunto no próximo dia 11 de outubro, às 17h, na Sala de Sessões Desembargador Herácito Pena Júnior.

Mudanças são sempre muito bem-vindas, mas às vezes também são temidas. O TRT10, preocupado com todos os servidores,

magistrados e advogados que lidarão com o PJe/JT, oferecerá a palestra para esclarecer e sanar toda e qualquer tipo de dúvida sobre a ferramenta. O objetivo é desmistificar o sistema e torná-lo cada vez mais amigável dos seus usuários. O Processo Judicial Eletrônico vem para agregar e somar!

Para esclarecer toda e qualquer dúvida sobre o novo sistema a Escola Judicial disponibilizará na nossa Intranet espaço para as perguntas de todos. Estas serão estudadas e respondidas já durante a palestra do próximo dia 11 de outubro.

Implementação do PJe/JT

O CSJT elabora plano de implantação da ferramenta e para isso foi criada uma estratégia de implantação que começou a ser traçada por um grupo de trabalho multidisciplinar do órgão. Dentro de 30 dias essa equipe apresentará proposta à presidência do Conselho Superior da Justiça do Trabalho.

Cada Tribunal também criará, em seu âmbito interno, seus respectivos grupos de trabalho para implantação do novo sistema, adaptando assim a estratégica à realidade local.

A primeira fase compreende a instalação na Vara de Trabalho de Navegantes (SC). Em seguida, será a vez da VT de Caucaias (CE), Várzea Grande (MT) e Arujá (SP). Assim, aos poucos o sistema será expandido para o segundo grau de jurisdição dos Regionais. Esses serão os projetos-piloto de implentação do PJe/JT. Feito isso, haverá adequações e implementações de melhoria para, em seguida, ser instalado em âmbito nacional.

Não perca! Nesta oportunidade serão esclarecidas dúvidas, apresentado o cenário nacional e informado o momento atual para a implantação do PJe.

Fonte: TRT10