A OAB/DF integrará o Comitê Nacional do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) – Lei 9840. O presidente Francisco Caputo disse que a entidade dará todo apoio ao movimento, pois esse movimento é fundamental para assegurar o exercício livre e consciente do voto pelo cidadão. Como diz o jargão do Movimento “Voto não tem preço. Tem conseqüencia.” A OAB nacional, a Conferência dos Bispos do Brasil (CNBB) e algumas das 46 instituições e entidades que integram o Movimento estiveram, na manhã desta terça-feira (20/7), no Conselho Federal da OAB para debater as estratégias de como conduzir os trabalhos de combate à corrupção. A reunião teve como objetivo deliberar sobre os planos de ação viáveis para que o MCCE possa estar plenamente em exercício nessas eleições.

Para o conselheiro federal da OAB/DF, Rodrigo Badaró de Castro, a Ordem tem um papel essencial nessa, principalmente ante os problemas ocorridos nos últimos meses. É preciso monitorar e apoiar o cidadão no combate à corrupção. Badaró diz que uma das iniciativas da entidade, além da adesão ao comitê da Lei 9840, é disponibilizar no site da OAB/DF a oportunidade de denúncia.“Caso recebamos denúncias, daremos encaminhamento ao Ministério Público Eleitoral e orientaremos o cidadão a como proceder quanto a alguma oferta de compra de voto, por exemplo”, declarou.

O presidente da OAB, Ophir Cavalcante, diz que toda a sociedade precisa estar presente para denunciar irregularidades ao Ministério Público e a Justiça Eleitoral afastar ou até cassar mandatos, se for preciso. “Esse é o momento para que a justiça eleitoral comece a dar o cartão vermelho aos que atropelam as regras no jogo da eleição e a pautar as condutas. A Justiça tem que ser chamada a disciplinar o pleito eleitoral, para que não vire uma bagunça”, destacou o presidente.