Brasília, 8/11/2012 – A Comissão de Prerrogativas da OAB/DF atua com o objetivo de facilitar o trabalho dos advogados e impedir que eles sejam desrespeitados no exercício da profissão. Como exemplo, a equipe tem atendido profissionais que, de alguma maneira, tiveram suas prerrogativas violadas. No feriado de Finados (2/11), a advogada Sílvia Crispim, em decorrência da greve da Polícia Civil, foi impedida de ter acesso ao cliente que estava preso no Departamento de Polícia Especializada (DPE). Acionada, a Comissão interferiu junto ao diretor da carceragem, que decidiu não reter o acesso da advogada ao cliente.

O advogado instrutor Benício Ferraz fez a mediação ligando para o diretor-geral adjunto da Polícia Civil, Watson Warmling, que reverteu a situação. Silvia Crispim explicou que em menos de 20 minutos tudo foi solucionado e conseguiu atender o cliente normalmente. “Fiquei extremamente satisfeita com a eficiência da Comissão”.

Outro caso foi o do advogado Guilherme Sá, barrado na portaria da 1ª Vara da Infância e da Juventude de Brasília. Ele tinha audiência e precisava acompanhar a cliente, menor de idade, que estava apreendida. A Comissão foi acionada e fez contato com o gabinete do juiz Renato Rodovalho, que autorizou a entrada do advogado.

Serviço

Advogados que tiverem suas prerrogativas violadas, podem acionar a Comissão pelos seguintes meios:
Disk-prerrogativas: 9166-9555 ou 8424-7070
Prerrogativas on-line – formulário eletrônico: www.oabdf.org.br
Reclamações por escrito – protocolo (Edifício-Sede da OAB/DF, 516 Norte, Bloco B, Lote 7)
Atendimento presencial (Edifício-Sede da OAB/DF, 516 Norte, Bloco B, Lote 7)
Telefone: 3035-7245 ou 3035-7224
Reportagem – Esther Caldas
Comunicação Social – Jornalismo
OAB/DF