Brasília, 3/12/2010 – A Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional do Distrito Federal celebrou, na quinta-feira (2/12), os 50 anos da primeira sessão de seu Conselho Pleno. Nesta mesma data, em 1960, composto por 40 advogados, o 1º Conselho elegeu presidente Leopoldo César de Miranda Filho e sorteou as inscrições dos advogados de recém-inaugurada capital. A comemoração pelo cinquentenário da atuação da advocacia no DF se deu em solenidade no auditório da OAB/DF, com a presença de toda a diretoria, conselheiros seccionais e federais, magistrados oriundos da advocacia, membros honorários vitalícios e do presidente do Conselho Federal da OAB.

Ophir Cavalcante abriu os trabalhos e registrou um pedido de desculpas por esta ser a primeira vez que comparece à Seccional como presidente do Conselho Federal. “É uma falta de que precisava me livrar, e hoje tenho certeza de que o faço em uma solenidade de imensa importância”.

Em seguida o presidente da OAB/DF, Francisco Caputo, proferiu seu discurso. Informou que falaria de improviso e agradeceu à diretoria, conselheiros e membros das comissões, às quais chamou de “o coração da Ordem”. Ressaltou a concretização de muitos dos objetivos que vislumbrava desde sua eleição para a gestão da OAB no triênio. “Se olharmos para trás, nesses primeiros 11 meses já fizemos muito. Somos reconhecidos nas ruas como uma administração que revolucionou os serviços desta Casa”, comemorou.

Dentre as conquistas alcançadas em 2010, Caputo destacou a revitalização da Escola Superior da Advocacia e a consolidação da Fundação de Assistência Judiciária como um dos grandes pilares da entidade. “A FAJ não só voltou a prestar um serviço que é da maior importância para a população, como tem feito uma verdadeira revolução. Há algumas semanas recebi em meu gabinete uma delegação do Ministério Público do Distrito Federal pedindo apoio da FAJ para o trabalho que realiza junto às vítimas de violência contra a mulher. O Ministério Público se desencastelar, ir à rua e vir a esta instituição é um grande reconhecimento”.

O presidente agradeceu ainda a compreensão de familiares que prescindem da companhia de diretores, conselheiros e membros de comissões, empenhados em trabalhos da Casa, que muitas vezes avançam madrugadas adentro. Também aos funcionários da Seccional, da Caixa de Assistência dos Advogados, diretores e funcionários das Subseções.

Em seguida, deu-se posse a 81 membros nas comissões constituídas da OAB/DF e às homenagens. A primeira foi a outorga da medalha Miranda Lima ao membro vitalício do Conselho, Reginaldo Oscar de Castro, em reconhecimento aos relevantes serviços prestados à Justiça, ao Direito e à cidadania. Logo após, diretores da Seccional, conselheiros seccionais e federais, membros de Subseções, diretores da FAJ e da Caixa de Assistência receberam o Diploma de Mérito pela posse como legítimos representantes dos advogados da capital da República.

A solenidade foi encerrada com o discurso de Ophir Cavalcante. O presidente nacional da OAB relembrou momentos passados no mesmo auditório da cerimônia, onde, em 1987, seu pai foi eleito presidente do Conselho Federal. Também destacou outros momentos importantes na trajetória da OAB/DF. “Eu tenho certeza que esses 50 anos não foram em vão. Muitas lutas em defesa do Brasil saíram daqui da OAB do Distrito Federal. Mauricio Corrêa, presidindo o Conselho Seccional, empreendeu aquela caminhada maravilhosa contra a ditadura militar, quando o general Newton Cruz cercou esse prédio. Há um simbolismo muito forte em tudo aquilo que aconteceu. A história da OAB do Distrito Federal se confunde com a história de Brasília”.

Demétrius Crispim
Assessoria de Comunicação – OAB/DF