Brasília, 21/10/2013 – “Tenho três filhos especiais e o Gabriel, de sete anos, é um deles. Quando ele vê os animais e fica feliz, isso dá mais vida para ele e, consequentemente, pra mim. Quando chegamos em casa, a alegria dá vida para toda a minha família”. Com essas palavras, Antonio José Moura, morador de Sobradinho e pai de Gabriel Mariano, descreveu a sensação de ter levado o filho para a edição do Projeto Zoo Noturno 2013. O passeio foi realizado na última sexta-feira (18) para crianças com necessidades especiais do Centro de Ensino Especial de Planaltina e Sobradinho. O encontro é resultado da parceria entre a Comissão de Defesa dos Direitos da Pessoa com Deficiência da OAB/DF, o Zoológico de Brasília e o Exército Brasileiro (EB), que juntos reforçaram o compromisso institucional com a inclusão social.

O presidente da Comissão Yure Gagarin afirmou que o objetivo da Seccional não é apenas zelar pelos direitos e prerrogativas do advogado, mas focar no lado social e em como a Ordem pode ser útil para o cidadão. “A gente visa, dessa forma, fazer com a Ordem dos Advogados do Brasil, e em especial a Seccional do Distrito Federal, também possa trazer para a sociedade um pouco mais de participação”, argumentou. “A iniciativa nos permite trabalhar a inclusão social e promover a integração entre indivíduos deficientes e não deficientes, obtendo um aprendizado mútuo, portanto, uma ação de excelente qualidade”.

Durante o passeio, os alunos puderam ter uma noção das características físicas dos animais por meio do toque, do cheiro e do som destes. Além dos animais empalhados, os visitantes tiveram contato e tocaram também em tartarugas. Acompanhados por monitores, biólogos e veterinários, os alunos aproveitaram ainda para tirar dúvidas durante a trilha percorrida.

Zoologico19-10-2013 025Vinícius Eduardo Sodré Ferreira, um dos diretores do ZOO, afirmou que o projeto consiste em mostrar ao público em geral como o Zoológico funciona durante a noite, explicando os hábitos e como os animais de comportam. “No cotidiano, as pessoas não veem esses animais, elas só os observam durante o dia. Eu achei excelente a iniciativa da OAB/DF, justamente pelo fato de que a Ordem está focando a questão social, principalmente relacionada à acessibilidade para essas crianças. É um projeto muito bonito”.

Muitas das crianças e jovens participantes são alunos do Instituto Federal de Brasília (IFB), uma escola profissionalizante que ainda oferece o tratamento de equoterapia. O membro da Comissão Luciano Cedraz de Oliveira também faz parte do IFB. “A OAB já tinha em mente a realização do projeto e cheguei para contribuir e dar um impulso com as crianças. A gente percebe que a pessoa com deficiência encontra muitas barreiras para participar de um evento como esse. Geralmente, o passeio está incluído nas atividades da escola regular, mas não tem uma assistência bacana como a presença de familiares, com solidariedade, ajuda e companheirismo. Isso é muito importante para o desenvolvimento deles”, disse.

Cristiano Pereira de Castro, aluno do IFB, também participou do passeio. Ele tem 26 anos, cursa eletromecânica e, às quintas-feiras, faz equoterapia. “Achei muito interessante porque você conhece o habitat dos animais noturnos. Já conhecia o Zoológico durante o dia, mas vir à noite é completamente diferente”. E completou. “Eu quero seguir uma carreira profissional para mostrar aos outros que a deficiência não tem barreiras. Eu posso fazer o que eu quiser”.

00001222A professora Ana Carla de Menezes considerou o passeio excelente. “Para os nossos alunos o passeio foi o máximo. Eles vinham há semanas comentando sobre isso. Temos de parabenizar e dizer para cada vez mais sermos lembrados e incluídos dentro do que é possível para as outras pessoas e também para aqueles com deficiência. Não podemos dizer que todos são iguais mas, dentro das suas limitações, podemos nos reorganizar de maneira que eles tenham a mesma possibilidade de acesso”.

Quem quiser participar dos passeios do ZOO pode obter mais informações pelo número (61) 3445 7013. Os passeios ocorrem em meses não chuvosos, às terças e quintas-feiras.

Reportagem – Tatielly Diniz
Fotos – Valter Zica
Comunicação social – jornalismo
OAB/DF