Em Nota, Estefânia diz que mulheres ainda são alvo do preconceito Brasília, 8/03/2004 – A presidente da OAB do Distrito Federal, Estefânia Viveiros, divulgou mensagem afirmando que o espírito do Dia Internacional da Mulher, comemorado hoje (08/03), deve continuar presente todos os dias do ano para combater a discriminação e o preconceito de que são vítimas ainda milhões de mulheres no Brasil. Citando dados estatísticos, Estefânia lembrou que apesar de apresentar escolaridade superior aos homens, as mulheres recebem remuneração inferior no trabalho. A discriminação é maior, segundo ela, quando se trata da mulher negra. ?Que este 8 de março seja mais um referencial da luta incessante contra todas as formas de discriminação e de exploração, para que a mulher possa ocupar o espaço que lhe cabe na construção de uma sociedade mais justa?, afirmou a presidente da OAB-DF.

Leia, abaixo, a mensagem da presidente Estefânia Viveiros pelo Dia Internacional da Mulher.

As mulheres brasileiras já deram exemplos de sobra de sua capacidade, seja no trabalho, nos empreendimentos e na política, mas infelizmente continuam sendo vítimas do preconceito, sobretudo quando se trata das mais pobres. Que este 8 de março, Dia Internacional da Mulher, seja mais um referencial da luta incessante contra todas as formas de discriminação e de exploração, para que a mulher cidadã, orgulhosa de seu gênero, possa ocupar o espaço que lhe cabe na construção de uma sociedade mais justa.

Seja também 8 de março o dia de protestar contra o fato de que as mulheres trabalhadoras continuem recebendo salários em média 70% inferiores aos dos homens, embora apresentem mais anos de estudo e competência. De se indignar que as mulheres negras recebam, também em média, metade do rendimento das mulheres brancas; que apenas 26% das crianças pobres freqüentem creches, contra 49% das crianças ricas; que cerca de dez milhões de mulheres no Brasil correm risco de gravidez indesejada por uso inadequado e falta de conhecimento de métodos anticoncepcionais; e que quatro mulheres sejam espancadas a cada minuto em nosso País.

Que o sentimento de luta contra todas essas injustiças continue presente todos os dias do ano.

Estefânia Viveiros Presidente da Seccional da OAB do Distrito Federal