Brasília, 22/4/2015 – A Comissão de Liberdade Religiosa da OAB/DF realizou, na última terça-feira (14), reunião para discutir o projeto de criação do Comitê Distrital de Diversidade Religiosa, dentro da Secretaria de Estado de Políticas para as Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos. O projeto foi encaminhado ao governador Rodrigo Rollemberg e aguarda aprovação.

Segundo o vice-presidente da comissão, Bernardo Sukiennik, o objetivo do projeto é abrir um espaço no Governo do Distrito Federal (GDF) para discutir políticas públicas voltadas ao aperfeiçoamento do Estado laico e o combate à intolerância religiosa. Se o projeto for aprovado, a OAB/DF terá um assento permanente no comitê. “A criação do comitê é de extrema importância para que possa haver a garantia dos direitos de liberdade religiosa”, disse o presidente da comissão, Weder Sampaio.

2A reunião também discutiu a prática do ensino religioso nas escolas públicas. A Comissão de Liberdade Religiosa recebeu diversas denúncias do Conselho de Ensino Religioso do Distrito Federal (CONER/DF) sobre problemas relativos a esta questão. Sampaio declarou que será realizada uma audiência pública para ouvir a comunidade do DF a respeito do tema e uma palestra para aprofundar o conhecimento teórico relacionado ao assunto.

Estiveram presentes na reunião o presidente da Comissão de Liberdade Religiosa da OAB-DF, Weder Sampaio; o vice presidente da Comissão de Liberdade Religiosa, Pablo Sukiennik; a subsecretaria de Educação Básica e Coordenação em Direitos Humanos e Diversidade, Ana Marques; a professora representante do Conselho Nacional de Ensino Religioso no Distrito Federal (CONER/DF), Deyse Colleti; o chefe de gabinete da Secretaria de Estado de Polítícas Públicas para as Mulheres Igualdade Racial e Direitos Humanos, Marcos de Oliveira; o representante da União Internacional das Religioes no Distrito Federal (URI),Elianildo Nascimento; o representante do deputado distrital Rodrigo Delmasso, do Partido Trabalhista Nacional (PTN), Luis Carlos; e o representante do Conselho Nacional de Ensino Religioso (CONER), Hoeck Miranda.

Foto – divulgação
Comunicação social – jornalismo
OAB/DF