Brasília, 5/12/2012 – Há 25 anos Brasília experimentava mais um forte momento político: a conquista do direito de voto para a população que ajudou a construir a capital. A democracia chegava de forma mais afirmativa, e os pioneiros conquistavam a consolidação da nova cidade. E nesse tom de vitória, na terça-feira (4), o jubileu de prata da conquista de voto para o Distrito Federal foi celebrado entre personalidades que contribuíram para o alcance desse direito. Cerca de 100 convidados receberam diploma de honra ao mérito.

O secretário-geral da OAB/DF, Lincoln de Oliveira, representou o presidente Francisco Caputo no evento. Na ocasião, externou a satisfação em reunir figuras importantes com o objetivo de resgatar a história, que é viva e recente. “Isso mostra a todos nós que temos força, independência e autonomia política e partidária. Celebrar essa conquista é de extrema importância”.

O presidente da Confraria dos Cidadãos Honorários de Brasília, Wílon Wander Lopes, ministrou palestra sobre a construção da cidadania da nova capital. Relembrou os percalços enfrentados para que a população tenha hoje assegurado o direito de voto. Destacou um momento importante no qual teve a oportunidade de entrevistar Tancredo Neves, que expressou a indignação em reconhecer Brasília como uma cidade solitária quanto ao direito de voto. “Conheço cidadãos cassados, conheço grupos cassados, mas cidade cassada só conheço Brasília”.

O empresário e advogado Lindberg Aziz Cury falou sobre a tentativa de retornarem a capital para o Rio de Janeiro. Segundo ele, manter Brasília como o centro das decisões políticas foi uma grande revolução, que consolidou a capital.

A celebração foi finalizada com um coquetel, que reuniu homenageados, familiares e autoridades como o senador Rodrigo Rollemberg, as deputadas federal e distrital, respectivamente, Erika Kokay e Arlete Sampaio e o empresário Paulo Octávio.

Reportagem – Esther Caldas

Foto – Valter Zica
Comunicação Social – Jornalismo
OAB/DF