Brasília, 28/12/2010 – A OAB/DF doou, às vésperas do Natal, na quinta-feira (23/12), 464 móveis e utensílios não utilizados pela Seccional para o Movimento Maria Cláudia pela Paz. “São mesas, cadeiras, carteiras e computadores que não atendiam mais as necessidades da Ordem, mas que podem fazer a diferença na vida de outras pessoas”, constatou o presidente da OAB/DF, Francisco Caputo.

O Movimento Maria Cláudia pela Paz foi criado em 2005 por Cristina Del’Isola, psicopedagoga, que em 2004 amargou a dor de perder de forma atípica sua filha Maria Cláudia. A fundadora do movimento superou a tragédia e fez “das trevas luz ao ajudar de diversas formas aos que precisam”, com mais de 600 voluntários. Além de contribuição material a creches, asilos e outras instituições, o movimento ajuda a realizar sonhos.

As carteiras que pertenciam a Escola Superior de Advocacia (ESA/DF) foram doadas ao Instituto Nossa Senhora da Piedade que atende, no Lago Sul, 140 meninas de 4 a 12 anos. As crianças pertencem a famílias de baixa renda que moram em São Sebastião, Itapoã e Paranoá. “Com esses mobiliários, o Instituto poderá futuramente oferecer o turno da noite”, comemora Cristina.

Os outros móveis foram doados para a ação social Recomeçar, creche em Samambaia que atende crianças e adolescentes; e para a Fraternidade Assistencial Lucas Evangelista (FALE), que atende adultos e crianças portadores do vírus da AIDS. “Em nossas vidas há momentos de descrença. Vivendo o que eu já vivi, quando vejo a ação da OAB/DF, que age com total transparência no sentido de se aproximar, de se envolver, de se engajar, renasce em mim a esperança. A forma como a OAB se aproxima do Movimento Maria Cláudia pela Paz é como se Deus fizesse um carinho no meu coração”, reconhece Cristina.

Todo o processo de doação do material para o Movimento Maria Cláudia pela Paz foi organizado pela coordenadora de eventos da OAB/DF, Patrícia Andrade, que um dia antes da véspera de Natal, encheu um caminhão com os móveis. Segundo ela, “ninguém é tão bom quanto todos nós juntos. Eu sempre falo isso. Quando todos se juntam, as coisas acontecem. Quando as pessoas têm o verdadeiro amor de ajudar o próximo, não importa quem é o próximo, elas têm a capacidade de mudar muita coisa”.

Assessoria de Comunicação – OAB/DF