Antes de assinar o termo de compromisso pelo fim da violência contra a mulher e pelo combate à pedofilia, Roriz questionou a OAB/DF e o coordenador do programa Proteger, procurador regional da República, Guilherme Schelb, se o documento o obrigava a fazer algo rapidamente. “E se eu não tiver condições de cumprir?”

O presidente da OAB/DF, Francisco Caputo, esclareceu que as propostas do termo de compromisso são bastante simples. “O que queremos é que o futuro governo dê atenção adequada à mulher e às crianças vítimas da violência. Queremos que o próximo governador se comprometa a cumprir a lei”.

Segundo o coordenador do programa Proteger, em Brasília há um massacre de crianças e de mulheres vítimas da violência e do abuso sexual. Segundo Schelb, no termo de compromisso, não há nada mais que o mínimo. “São propostas emergenciais. É fundamental equipar os conselhos tutelares, ter psicólogos que atendam as vítimas e continuidade administrativa nessas entidades”.

Convencido pelos argumentos da OAB/DF e do coordenador do programa Proteger, o candidato Joaquim Roriz assinou o termo de compromisso.