Brasília, 14/5/2013 – A Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional do Distrito Federal recebeu 146 novos advogados, que prestaram compromisso regimental em duas solenidades de entrega de carteiras, na manhã desta terça-feira (14/5). Participaram das solenidades membros da diretoria, conselheiros, familiares e amigos.

O presidente Ibaneis Rocha saudou os novos profissionais dizendo que a OAB/DF está de portas abertas. “A responsabilidade da Ordem se sobrepõe a todas as demais categorias, sem demérito de nenhuma delas. As classes organizadas cuidam das questões internas apenas. A OAB além de cuidar das questões internas, ela tem que cuidar da sociedade. E vocês assumem hoje um papel de relevância na sociedade, e para ombrear nessa missão, estamos aqui diariamente para auxiliá-los nas dificuldades do exercício profissional”.

O paraninfo da primeira turma, Cleber Lopes, falou sobre os caminhos que os novos advogados irão percorrer, e destacou a importância da defesa constante das prerrogativas. “Quanto as prerrogativas profissionais, estas em verdade não são do advogado, e sim do cliente, isto é, do jurisdicionado. Para concretizá-las é preciso muitas vezes tomar providências que não agradam, mas é sempre importante lembrarmos que não estamos postulando em causa própria, vale dizer, não podemos transigir com o direito alheio”.

Cleber Lopes falou ainda sobre a valorização da carreira. “Ocorre que nós somos responsáveis diretos pela dignidade da advocacia, ou seja, devemos agir como se cada um fosse o todo. Por isso, precisamos pensar, agir e reagir como o todo, isto é, cada um de nós representa a advocacia, com toda sua história, com toda sua virtude ética, importância política, institucional e social”.

A oradora da segunda turma, Renata Aloise de Freitas, lembrou os colegas sobre a função do advogado. “Ser advogado é ter a capacidade e sensibilidade de compreender a sua importância para a manutenção da Justiça. É brigar por uma Justiça igualitária, que alcance a todos com ética e disciplina. O advogado funciona como pilar da democracia. O advogado representa a esperança dos menos favorecidos, portanto, não é uma tarefa fácil, temos um grande desafio pela frente”.

A procuradora da Fazenda Nacional do Distrito Federal, Maria Dionne de Araújo Felipe, foi paraninfa da segunda turma e disse aos recém-advogados que o caminho não é fácil. “São muitos os caminhos. Ao percorrê-los os senhores vão perceber que serão muitos os obstáculos, e que o mandamento constitucional que diz ser o advogado indispensável e essencial à administração da Justiça nem sempre é respeitado”.

Maria Dionne continuou. “Essa solenidade tem um significado especial porque quando cada um dos senhores selar o seu compromisso deve fazê-lo com a convicção de que essa é a nossa casa. E a ideia de casa está sempre ligada à ideia de família. A OAB que sonhamos é a que construímos a cada dia. Direito e Justiça se prendem e completam um ao outro”.

Reportagem – Priscila Gonçalves
Foto – Valter Zica
Comunicação Social – Jornalismo
OAB/DF