O painel “Advogando com as Grandes nos Grandes Escritórios Brasileiros” ocorreu na tarde desta sexta-feira (16). Presidido pela conselheira seccional, Sueny Almeida, a palestra trouxe a voga o questionamento sobre os diferenciais dos escritórios que se destacam no meio jurídico. “Qualquer um pode chegar onde quiser. Precisamos querer muito, realmente desejar crescer, trabalhar duro, tirar a ideia da cabeça e agir. O caminho não é fácil, mas é querendo que se começa”, afirmou Sueny.

A relatora do painel, conselheira seccional Fernanda Gonzalez, falou sobre o processo de seleção de um advogado. Por ter experiência na área de recrutamento, Fernanda tem conhecimento do que chama atenção aos olhos dos sócios de grandes escritórios. A conselheira recomendou aos presentes o aprimoramento do conhecimento jurídico, da língua portuguesa, de redação e escrita. “Conhecimentos básicos em informática, clareza, especialização e o aprimoramento contínuo do conhecimento são essenciais para todos aqueles que desejam sucesso na carreira da advocacia”, afirmou.

A sócia em Brasília do Escritório Mattos Filho Veiga Filho Marrey JR e Quiroga Advogados, Marici Gianico, contou algumas dificuldades diárias enfrentadas por mulheres, seja com menos ou mais experiência no mercado. O assédio por parte dos clientes, a inferiorização de suas capacidades ou desconforto explicitado por alguns colegas ao dividirem tarefas com uma mulher são alguns dos percalços enfrentados por elas. Apesar disso, Marici esclareceu que este cenário muda a cada dia a fim de valorizar o trabalho de todas as advogadas. “Nós temos inúmeras qualidades a serem ressaltadas. Conseguimos fazer cinco coisas ao mesmo tempo, somos ótimas gerenciadoras de pessoas, temos uma sensibilidade muito aguçada, isso tudo comprovado cientificamente. Nós temos inúmeras características que não são reconhecidas no dia a dia e que são importantes quando chegamos ao topo. Felizmente as pessoas que tomam decisões em grandes escritórios estão começando a ter esse olhar”.

Thais Riedel, conselheira seccional e sócia em Brasília do Escritório Riedel Advogados Associados, falou sobre sua trajetória na advocacia e sobre os desafios enfrentados por ela. “Tive o desafio de sempre trabalhar em um escritório familiar. Percebi cedo que para as coisas darem certo é necessário o esforço da equipe. A pessoa tem que perceber que ao trabalhar em um grande escritório ela vai fazer parte de uma máquina. O esforço individual e coletivo é essencial. Lá, quando uma pessoa tem uma vitória, a vitória é de todos, mas quando o que vem é uma derrota, ela também é de todos”, contou.

As debatedoras ressaltaram a necessidade do aprimoramento profissional para angariar um espaço no meio jurídico. Além disso a confiança em si mesmo e o trabalho duro diário também foram tidos como indispensáveis para o crescimento profissional.