Heverton Menezes já cometeu o mesmo crime em 2002, segundo a polícia

Gustavo Frasão, do R7 | 02/05/2012 às 10h30

O homem acusado de racismo contra uma funcionária de um shopping na Asa Norte foi identificado pela Polícia Civil e intimado a depor. Heverton Octacílio de Campos Menezes, 62 anos, é médico e tem uma clínica no Lago Sul.

Segundo a vítima, Marina Serafim dos Reis, 25 anos, que é bilheteira do cinema de um shopping de Brasília, a confusão começou quando Heverton tentou passar na frente de outros clientes por ter chegado atrasado à sessão do cinema, na tarde do último domingo (29). Entre outras agressões, o médico teria dito que Marina deveria morar na África para cuidar de orangotangos.

De acordo com a 5ª DP (Asa Norte), que investiga o caso, ele é doutor em psicanálise e palestrante e já teria cometido um outro crime de racismo, em 2002, contra uma mesária eleitoral, também por não permitir que ele furasse fila.

A intimação para depor foi enviada na tarde da última terça-feira (1º) ao suspeito e o caso será acompanhado também pela OAB-DF (Ordem dos Advogados do Brasil no Distrito Federal).

A polícia aguarda o depoimento do suspeito para continuar com as investigações.