Brasília, 16/02/2011 – Prefeitos das cidades da região serrana do Rio de Janeiro, atingidas pelas fortes chuvas no mês passado, e o senador Lindbergh Farias (PT-RJ) estiveram em Brasília ontem e receberam simbolicamente, do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, seccional do Distrito Federal (OAB/DF), Francisco Caputo,
cerca de 17 toneladas de donativos arrecadados pela instituição. São aproximadamente 6,5 mil litros de água, sete toneladas de alimentos não-perecíveis e 3,6 toneladas de produtos de higiene e limpeza.

A mobilização para reunir os mantimentos, iniciada em 19 de janeiro, envolveu durante 15 dias advogados e empresas, e ganhou também a participação dos brasilienses. “Tivemos a sorte de não só os advogados terem colaborado com o nosso movimento, mas toda a sociedade, por isso conseguimos um resultado tão expressivo”, comemorou Francisco Caputo, presidente da OAB-DF. Em todo o DF, foram montados pontos para coletar os donativos.

Segundo a OAB-DF, houve divulgação por meio de carros de som nas cidades do Gama e de Santa Maria e o ginásio de esportes da cidade de Sobradinho teve uma noite de atrações como parte da campanha. Além das ações das subseções,
um grupo de músicos da cidade promoveu, no Arena Futebol Clube, a festa Samba Solidário, que arrecadou três toneladas de alimentos em um dia.

Duas carretas, oferecidas pela Gráfica Brasil, levarão a doação à cidade de Teresópolis, uma das mais prejudicadas por deslizamentos, que ainda tem cerca de 15 mil desabrigados ou desalojados e cerca de 70 desaparecidos. Segundo o prefeito do município, Jorge Mário, a reconstrução da cidade ainda está na fase
inicial e as buscas por desaparecidos não foram encerradas. “Continuaremos até termos certeza de que não há mais onde procurar”, afirma.

RECURSOS

Os prefeitos dos municípios de Nova Friburgo, Teresópolis, Petrópolis e Sumidouro, junto com o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), cumpriram ainda agenda em oito ministérios, entre eles os da Saúde, do Turismo e das Cidades, para buscar apoio na reconstrução das cidades devastadas. Eles tentam levantar recursos para o consórcio intermunicipal, criado para auxiliar as cidades mais
afetadas pela tragédia no Rio de Janeiro.

“Queremos elaborar projetos bem fundamentados, para que possamos, em curto e médio prazos, captar os recursos necessários para a reconstrução dos municípios”, explica o prefeito Jorge Mário. Pouco mais de um mês depois do temporal que devastou as cidades da região serrana fluminense, o Ministério Público do estado calcula que ainda há cerca de 400 pessoas desaparecidas. O número de mortes chegou a 896 e há, em todos os municípios atingidos, quase 30 mil desabrigados ou desalojados.

Fonte: Jornal do Commercio