OAB/DF acompanha escavações no Araguaia

Atualizada

O comitê de supervisão do Grupo de Trabalho Tocantins (GTT) visitou, na sexta-feira (2), dois pontos de escavações no Pará. O grupo foi formado para localizar corpos dos guerrilheiros mortos na Guerrilha do Araguaia. Até o momento, não foram encontrados vestígios de pessoas desaparecidas. Participaram da visita, entre outras autoridades, o ministro da Defesa, Nelson Jobim, a presidente da OAB/DF, Estefânia Viveiros, e o secretário especial dos Direitos Humanos da Presidência da República, ministro Paulo de Tarso Vannuchi. Jobim afirmou que as buscas deverão se estender a 2010. Nos próximos meses, o grupo de trabalho e o comitê aprofundarão as ações de investigação e de busca de depoimentos. Isso servirá para levantar informações que permitam futuras escavações. Jobim disse que a frustração acarretada pela falta de resultados das buscas ocorridas até agora não pode ser motivo de desânimo. “A falta de resultados dos atos anteriores tem que ser um estímulo para os atos posteriores”, afirmou. Segundo ele, a tarefa só será encerrada quando as buscas tiverem sucesso ou quando houver o consenso de que não adianta mais continuar o trabalho.

Estefânia Viveiros destacou a transparência e o empenho de todos os técnicos envolvidos na tarefa. “O mais importante é que há uma equipe de professores e especialistas envolvidos na busca, e todas as ações têm sido muito transparentes”, afirmou.

O objetivo principal é cumprir uma sentença judicial que determina à União localizar os corpos dos desaparecidos na Guerrilha do Araguaia. O trabalho começou com levantamentos em documentos oficiais e na literatura produzida sobre o assunto.

A visita ao Araguaia foi solicitada na última reunião do comitê, em 10 de setembro, quando alguns dos membros manifestaram o desejo de conhecer os trabalhos que estão sendo supervisionados. A comitiva saiu de Brasília com destino a Marabá e, de lá, seguiu para o município de São Geraldo, onde acompanharam escavações no ponto denominado Mutuma. A ocupação ocorrida na região nas últimas décadas dificulta a localização de vestígios. Até agora, todos os pontos escavados revelaram que as anomalias eram pedras, raízes ou buracos naturais.

Integrantes Pelo Comitê, participaram da viagem, além das autoridades citadas acima, o ministro do

Superior Tribunal de Justiça (STJ)

Antônio Herman Benjamin; o ex-procurador Geral da República Cláudio Lemos Fonteles; o ex-secretário de Imprensa e Divulgação da PR Ricardo Kotscho; e a integrante da Comissão de Mortos e Desaparecidos Diva Santana. Também compareceram diversos membros do GTT, entre os quais o ex-deputado do PC do B Aldo Arantes, e o comandante do Exército general Enzo Martins Peri.

Com informações do Ministério da Defesa


Fique Informado

Fale Conosco


SEPN 516 Bloco B Lote 7 | Asa Norte | Brasília/DF | 70770-522 - Salas do Advogado

[email protected] - [email protected] - (61)3036-7000

Parceiros: